quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Biografia Teodoro González de Léon


BREVE HISTÓRICO
Arquiteto mexicano nascido em 1926 na Cidade do México, foi formado pela Universidade Autônoma do México (UNAM), pertence a uma geração educadora pelo Movimento Moderno e hoje ele é reconhecido internacionalmente.

INFLUÊNCIAS
Estagiou por 18 meses com Le Corbusier, de quem recebeu influências significativas como: concreto, módulo, elementos pré-fabricados e funcionalismo.

VISÃO PANORÂMICA
Teve em sua primeiras obras a presença de pilotis e influência direta de Le Conbusier.
A partir da década de 60, teve uma série de mudanças em sua linguagem como: Edifícios presos ao chão (abandono do pilotis); Uso do brise-soleil como elemento de proteção solar e, em alguns casos, como elemento estrutural; Alta exploração da plástica dos edifícios  como o uso dos brises; Uso de painéis pré-fabricados nas fachadas; Colunas no pano da fachada; Uso do pátio.
Ao final dos anos 60 introduz o uso da grapa, um elemento mural em forma de ‘’C’’, e das portadas;
As portadas, aliada aos brises e, algumas vezes á colunada da fachada, deixa claro a transição entre o público e o privado.
A partir dos final dos anos 70, Teodoro substituiu o concreto liso, pelo concreto esculpido (concreto + mármore, ao invés dos agregados tradicionais).
Teodoro afirma que em sua obra ele trabalha a plástica arquitetônica como uma colagem de elementos geométricos, chegando a se identificar com a frase de Aldo Rossi: ‘’A arquitetura é indiferente à sua função’’, ou seja, pode-se recombinar elementos e criar coisas totalmente diferentes.

VISÃO CRÍTICA
Octávio Paz (1914-1998), um dos mais importante ensaístas do México, escreveu a respeito da obra de Teodoro Gonzalez de Léon:

‘’Sua obra é composta pela aliança entre dois movimentos opostos: a gravidade e o ritmo. Gravidade devido ao aspecto pesado, que realmente dá a sensação de que o prédio está fixo ao chão; e ritmo pelos elementos que compõem o a forma, juntamente como o jogo de luz, que nos dá a sensação de contemplarmos uma dança imóvel.’’

OBRAS:

Arcos Bosques Corporativo (México – 1990)


Embaixada do México em Berlim (Berlim/Alemanha – 2000)


BIBLIOGRAFIAS:
SEGAWA, HUGO. Arquitectura latino-americana contemporânea. Barcelona: Editora Gustavo Gili. 2005;

LARIOS, Jose María. Columna, estrutura, y composición em la obra de Teodoro Gonzalez de León;

CURTIS, Wiliam J.R. Arquitetura moderna desde 1900. Bookman Companhia Ed., 2008;

TOCA, Antonio (org). Arquitetura América Latina: Nueva Arquitetura em America Latina: Presente y Ftuturo. México: Editora Gistavo Gili, 1990;

Revista Projeto nº 130;

www.vitruvius.com.br;

www.arqred.mx;

www.revista.unam.mx;

www.paseoarcosbosques.com.mx;

www.arquitour.com;

www.artigos.tol.pro.br/portal

LIMA, Bruno. www.pt.slideshare.net. ACESSO: 8 de setembro/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário